Mais de 450 tratoristas participam da Procissão dos Lavradores


Nem mesmo a frio espantou os 548 veículos participantes da tradicional Procissão dos Lavradores de Ibiúna, realizada no último domingo (20), pelas ruas do centro. O evento completou 35 anos e contou com a presença de produtores de toda região, além de autoridades e o público que lotou as ruas do centro para acompanhar o desfile. Só de tratores foram mais de 450, que desceram a Rua XV de Novembro trazendo seus produtos para serem doados à Igreja Católica. A atração faz parte das comemorações da 99ª Festa de São Sebastião e do Divino Espírito Santo.

De acordo com Ivo Irineu Soares de Campos, que todos os anos faz a contagem oficial dos participantes, neste ano houveram 455 máquinas agrícolas (tratores e 93 veículos entre caminhões, Jeeps e carros de passeio.

Neste ano, o evento também contou com a presença do radialista Eli Correia, na Praça da Matriz.

Seu Anibal Albertin, um dos fundadores da Procissão dos Lavradores

Grande feirão realizado com os produtos doados pelos agricultores

Mais de 450 tratoristas participaram da procissão

Após a romaria, os tratoristas ainda ganharam um almoço e puderam participar de um Dia de Negócios com exposição agrícola na Cooperativa Agropecuária de Ibiúna (Caisp). O evento foi bastante movimentado e todos puderam se confraternizar numa linda festa em valorização aos produtores rurais do município.

Tradição

A precisão dos lavradores começou em 1983, através de uma iniciativa do padre Elizeu Antônio de Camargo e do agricultor Aníbal Albertin. Como na época o número de produtores rurais em Ibiúna era muito grande, foi uma forma encontrada pelo pároco para aproximar os agricultores da igreja. A princípio, a romaria era realizada em janeiro, durante a Festa de São Benedito, mas depois, foi transferida para a Festa de São Sebastião. “No começo tinha uns 15 ou 20 participantes. Mas o número foi crescendo e atualmente passa de 500”, diz Aníbal.

Após descerem em procissão, na Praça da Matriz, além de receberem a bênção, também oferecem alguns produtos para a igreja. Com as oferendas é realizado um grande feirão de verduras, legumes e cereais trazidos pelos lavradores. As doações dos agricultores são vendidas a preços populares e todo dinheiro arrecadado é revertido para Festa de São Sebastião e do Divino Espírito Santo.

Logo às 8 horas, os tratoristas, lavradores e fiéis de todo município se aglomeram na Av. São Sebastião para acompanhar uma Santa Missa.

Após a missa, em procissão, os tratoristas seguiram pela avenida, viram pela XV de Novembro e seguiram até a Praça da Matriz, onde os padres abençoavam os romeiros com água benta. Em seguida, os presentes puderam comprar os produtos doados pelos agricultores.

Aníbal se diz muito feliz pelo fato de sua ideia ter se tornado uma grande tradição religiosa e o evento ter ganhado proporções gigantescas. “Além de um ato de fé, o evento também ser tornou uma maneira de confraternização entre os agricultores. Neste dia, podemos rever vários amigos que moram distantes do centro, além de valorizarmos a cultura local. A gente não é eterno, por isso, espero que as novas gerações deem continuidade a esta tradição”, declarou o agricultor.

wordpress plugins and themes automotive,business,crime,health,life,politics,science,technology,travel

Jornal do Povo | Escrito por:

Redação
Redação

Com seriedade e dinamismo, a nossa equipe procura fazer jornalismo de verdade, no qual a ética e a responsabilidade em divulgar os principais assuntos de interesse público são nossos principais objetivos.

Deixe seu Comentário