TSE nega recurso de Fábio Bello e Professor Eduardo é o novo prefeito de Ibiúna


 

Professor Eduardo mesmo ficando em 2º lugar será o novo prefeito de Ibiúna

Em decisão Monocrática, a Ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Laurita Vaz, indefiriu o Registro de candidatura do ex-prefeito Fábio Bello (PMDB). A decisão saiu no inicio da noite de hoje (12). Com isso, o segundo colocado nas eleições, Professor Eduardo (PT), deverá ser o próximo prefeito para os próximos 4 anos. Como foi uma decisão de apenas um ministro, ainda cabe recurso.
Com aproximadamente 20 mil votos, o ex-prefeito Fábio Bello foi o mais votado nas urnas durante as eleições de outubro, mas
dependia de uma decisão judicial para saber se poderá ou não assumir o cargo. O segundo colocado foi o Professor Eduardo (PT), com 16.224 votos e agora é oficialmente o eleito.

A Ministra manteve a decisão do juiz de Ibiúna, Wendell Lopes Barbosa de Souza, que indeferiu o registro de candidatura de Bello ao cargo de prefeito com base na “Lei da Ficha Limpa”. Fábio teve seu registro indeferido por ter sido condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, órgão colegiado, por ter feito a contratação de condutores escolares sem licitação, quando era prefeito de Ibiúna.

Apesar de ter conseguido uma Medida Cautelar no Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulando os efeitos da condenação do TJ-SP, Laurita Vaz entendeu que tal instrumento não isenta o ex-prefeito das condenações.

Confira a decisão completa:

DECISÃO

O juízo eleitoral de Ibiúna, acolhendo impugnação formulada pela COLIGAÇÃO DESENVOLVIMENTO E PROGRESSO, indeferiu o pedido de registro de candidatura de FÁBIO BELLO DE OLIVEIRA ao cargo de prefeito daquele município, em razão da incidência da causa de inelegibilidade constante do artigo 1º, inciso I, alínea l, da Lei Complementar nº 64/90, com as alterações da Lei Complementar nº 135/2010.

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, negando provimento ao recurso, indeferiu o pedido de registro de candidatura, ao fundamento de existir causa de inelegibilidade.

O acórdão está assim ementado (fl. 465):

RECURSO ELEITORAL. PEDIDO DE REGISTRO DE CANDIDATURA. CARGO: PREFEITO. INDEFERIDO. PRELIMINAR DE NULIDADE DA SENTENÇA: AFASTADA. MÉRITO. CAUSA DE INELEGIBILIDADE: CONDENAÇÃO ÓRGÃO COLEGIADO, POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. PROCEDÊNCIA. OBTENÇÃO DE EFEITO SUSPENSIVO AOS EFEITOS DA CONDENAÇÃO, POR LIMINAR EM AÇÃO CAUTELAR. DECISÃO MONOCRÁTICA. CONFIGURADA A INELEGIBILIDADE DO ART. 1º, I, “L” , DA LC Nº 64/90. NÃO CUMPRIMENTO DOS REQUISITOS DO ART. 26-C DA LC Nº 64/90. DESPROVIMENTO DO RECURSO. MANUTENÇÃO DO INDEFERIMENTO DO REGISTRO DE CANDIDATURA. EM CONSEQUENCIA, INDEFERIMENTO DO REGISTRO DA CHAPA. COM DETERMINAÇÃO DE DESENTRANHAMENTO DE PETIÇÃO.

Dessa decisão foi interposto recurso especial com fundamento no artigo 121, § 4º, incisos I e II, da Constituição Federal e no artigo 276, inciso I, alíneas a e b, do Código Eleitoral. Nas razões desse recurso (fls. 492-528), o Recorrente sustenta afronta aos artigos 26-C da LC nº 64/90, com as alterações da LC nº 135/2010, aduzindo que a decisão liminar prolatada por relator suspendendo os efeitos do acórdão que deu ensejo à inelegibilidade atende ao disposto nessa norma legal, tendo em vista o seu poder geral de cautela.

Prossegue argumentando a respeito da interpretação do artigo 26-C da Lei de Inelegibilidade:

[…] deve ser realizada de forma sistemática com o nosso ordenamento jurídico, para que não afronte regras basilares, como é o caso, exemplificativamente, dos artigos 557 e 798, do Código de Processo Civil, 34, incisos I, V e VI, do Regimento Interno do E. Superior Tribunal de Justiça. (fl. 506)

Aponta para a existência de dissenso pretoriano com acórdãos do TRE/CE, TRE/PR e do TSE.

Com o recurso especial, foram juntados aos autos cópias da decisão da lavra do Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO; do acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo prolatado nos autos da apelação 994.09.259772-5, relativo à ação civil publica; do recurso especial interposto nos autos da apelação 994.09.259772-5 e de julgados que, em casos alegadamente similares, cuidam do tema.

Em contrarrazões (fls. 711-718), a COLIGAÇÃO DESENVOLVIMENTO E PROGRESSO argumenta que o recurso não preenche os requisitos legais, visto que objetiva discutir a condenação em sede de registro de candidatura. Indo além, afirma que a concessão de medida liminar por decisão monocrática de relator suspendendo os efeitos do acórdão que deu ensejo à inelegibilidade não se presta a atender ao disposto no artigo 26-C da Lei de Inelegibilidade, que requer decisão do Colegiado.

A Procuradoria-Geral Eleitoral opinou pelo desprovimento do recurso especial (fls. 724-726).

Às fls. 729-733, FÁBIO BELLO DE OLIVEIRA informa que a Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça, em decisão colegiada prolatada em 2.10.2012, ratificou a atribuição de efeito suspensivo ao recurso especial que discute sua condenação em ação de improbidade administrativa – situação, no seu sentir, apta ao deferimento do registro de candidatura por constituir fato superveniente. Com a petição foram juntados: cópia de certidão de julgamento e andamento processual da Medida Cautelar nº 19.843/SP, de relatoria do Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO, cópia e jornal noticiando a votação do Recorrente.

À vista do que consta da petição, abri vista para manifestação da parte contrária e do Ministério Público.

A Coligação recorrida, ao se manifestar acerca da petição de fls. 729-733, afirma a inviabilidade da análise dos documentos, tendo em vista o disposto nas Súmulas 7 do STJ e 279 do STF, pugnando pelo não conhecimento do recurso especial e, se superado, pelo desprovimento.

Em nova manifestação da douta Procuradoria-Geral Eleitoral veio aos autos parecer pela inviabilidade da análise dos documentos juntados pelo Candidato, visto se tratar de matéria não analisada pelo Tribunal a quo e não ter constado das razões de recurso especial (fls. 763-765).

Em petição de fls. 768-771, EDUARDO ANSELMO DOMINGUES NETO requereu sua admissão no feito na condição de assistente da Coligação recorrida, tendo sido admitido por decisão de fls. 806-807, da qual não houve recurso.

EDUARDO ANSELMO DOMINGUES NETO, em nova petição (fls. 812-816), noticia a existência de acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo que condenou o ora Recorrente em ação popular que é objeto de recurso perante o STJ, estando sob a relatoria do Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO; esclarece ainda que o Recorrente responde a 4 ações de execução fiscal e 2 ações criminais, fatos que, no seu sentir, inviabilizam o deferimento do recurso especial. A petição veio acompanhada de documentação.

Em petição de fls. 868-875, o Assistente, EDUARDO ANSELMO DOMINGUES NETO, manifesta-se pelo não conhecimento do recurso especial, tendo em vista que a alegada divergência não foi demonstrada. Doutro norte, sustenta que a decisão liminar proferida pelo Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO não atende às exigências do artigo 26-C da Lei das Inelegibilidades. A petição veio acompanhada de cópias do pedido de reconsideração formulado pelo ora Assistente perante o STJ, em face da decisão que concedeu efeito suspensivo, e do andamento processual da Medida Cautelar nº 19.843/SP.

É o relatório.

Decido.

Por primeiro, quanto à alegação de que a interpretação do artigo 26-C da LC nº 64/90, com as alterações da LC 135/2010, “deve ser realizada de forma sistemática com o nosso ordenamento jurídico, para que não afronte regras basilares, como é o caso, exemplificativamente, dos artigos 557 e 798, do Código de Processo Civil” , e a suficiência da decisão singular, haja vista o poder geral de cautela do relator, verifica-se que essas matérias não foram examinadas pelo Tribunal a quo, tampouco foram objeto de embargos declaratórios. Por essa razão, deixo de apreciá-las, consoante os enunciados 282 e 356 do Supremo Tribunal Federal, respectivamente transcritos, in verbis:

É inadmissível o recurso extraordinário, quando não ventilada, na decisão recorrida, a questão federal suscitada.

O ponto omisso da decisão, sobre o qual não foram opostos embargos declaratórios, não pode ser objeto de recurso extraordinário, por faltar o requisito do prequestionamento.

Leio trecho do voto condutor do acórdão recorrido, que tratou do tema:

A condenação foi mantida pelo C. Tribunal de Justiça de São Paulo, ao analisar recurso de Apelação nº 994.09.25.97.72-5, interposta em face da sentença proferida em ação civil pública promovida pelo ministério Público, sendo o respectivo acórdão da lavra do E. Desembargador Lineu Peinedo – cuja ementa de fls. 73/77, transcrevo para melhor elucidação da matéria:

`Ação civil pública – Ato de improbidade – licitação – Dispensa – responsabilidade – Sanções – Tendo os corréus Fábio e Euzébio efetuado contrato de prestação de serviços de transporte escolar sem o devido processo licitatório, patente a prática de ato lesivo ao erário. Não configurada a prática de ato de improbidade pelos corréus Juarez e Nydia Penas não respondem elas pelas sanções da Lei n. 8.429. Penas mantidas. Recursos improvidos¿ – grifei.

Assim, no acórdão mencionado consta que o ato de dispensa de licitação em contrato de prestação de serviços de transporte escolar irregular configura-se ato de improbidade administrativa, sem prejuízo de que o ato foi lesivo ao erário (fls. 763/74).

Não fosse suficiente, resta claro que o recorrente teve seus direitos políticos suspensos pelo prazo de 5 (cinco) anos, conforme certidão de objeto e pé de fls. 122 e verso.

[…]

Assim, resta incontroverso que no caso em comento a dispensa da licitação para contratação de transporte escolar, configurou ato de improbidade administrativa. Ademais, a conduta do candidato visou o benefício de familiares e amigos,, o que caracteriza o dolo da ação e o enriquecimento ilícito. De outro lado, o pagamento de contrato ilegal, que culminou no ressarcimento aos cofres públicos, denota a lesão ao patrimônio público. Tais requisitos corroboram a caracterização da inelegibilidade do candidato.

[…]

No mais, é de se observar que o recorrente apresentou, em 29/08/2012, documento novo, qual seja, decisão do Superior Tribunal de Justiça que, em medida cautelar, deferiu, liminarmente, o efeito suspensivo ao recurso especial no processo que responsabilizou o então prefeito, ora recorrente, por improbidade administrativa.

Contudo, verifica-se que tal decisão de fls. 395/398, foi proferida pelo I. Ministro relator, não tendo cumprido o requisito para que se efetive a suspensão dos efeitos da inelegibilidade, vez que a decisão é monocrática e não oriunda de órgão colegiado.

Dispõe o art. 26-C da Lei Complementar nº 135/2012, in verbis:

`Art. 26-C. O órgão colegiado do tribunal ao qual couber a apreciação do recurso contra as decisões colegiadas a que se referem as alíneas d, e, h, j, l e n do inciso I do art. 1o poderá, em caráter cautelar, suspender a inelegibilidade sempre que existir plausibilidade da pretensão recursal e desde que a providência tenha sido expressamente requerida, sob pena de preclusão, por ocasião da interposição do recurso.

§ 1º  Conferido efeito suspensivo, o julgamento do recurso terá prioridade sobre todos os demais, à exceção dos de mandado de segurança e de habeas corpus.

[…]

Portanto, in casu, é de se destacar que a inelegibilidade prevista no art. 1º, I, `L¿, da LC nº 64/90 atinge o candidato – recorrente nas eleições de 2012, não havendo, sob a minha ótica, como se deferir o registro de sua candidatura.

Nesse passo manifestou-se a Douta Procuradoria Regional Eleitoral:

`Afirma-se, desde logo, que dois fundamentos obstam a pretensão deduzida pelo recorrente.

Primeiro: é certo que a decisão colegiada que fundamenta a inelegibilidade versada nos autos foi objeto de recurso especial e de recurso extraordinário. Contudo, a r. decisão indicada pelo recorrente foi proferida monocraticamente pelo Ministro Relator do recurso especial, ao passo que o dispositivo acima colacionado exige que a decisão tenha sido proferida por órgão colegiado, logo, não se presta aos fins colegiados.

(…)

Segundo: ainda que superado tal óbice, a liminar obtida pelo ora recorrente em ação autônoma encontra-se fulminada pela preclusão¿. Grifei

Assim, pelo meu voto, rejeito a preliminar de nulidade da r. sentença em razão da não manifestação quanto à inconstitucionalidade da Lei Complementar nº 135/2010. No mais, indefiro o pedido de desentranhamento de documentos ao recurso para manter o indeferimento do requerimento de registro de candidatura para o cargo de Prefeito de FÁBIO BELLO DE OLIVEIRA, e, por consequência, indefiro o registro d chapa da qual o candidato faz parte, por ser uma e indivisível, a teor do art. 50, parágrafo único, da Resolução TSE nº 23.373/11, restando incólume o registro de candidatura do candidato ao cargo de Vice-Prefeito.

Por derradeiro e oportuno, de termino o desentranhamento dos documentos juntados às fls. 423/436 por não fazerem referência ao caso em concreto, devendo tal petição ser juntada ao autos a que fazem parte. (fls. 471-482)

Pois bem. Essas são as premissas delineadas pelo acórdão e contra este não foram opostos embargos de declaração buscando o debate acerca do tema.

De resto e resumindo, a Corte de origem assentou que subsiste a causa de inelegibilidade de FÁBIO BELLO DE OLIVEIRA, consubstanciada em condenação na Apelação nº 994.09.25.97.72-5, em sede de ação civil pública por ato de improbidade administrativa, reconhecendo presentes os requisitos para a incidência da causa de inelegibilidade.

Com os autos já nesta instância, foi protocolizada pelo Recorrente, em 10.10.2012, documentação com a qual pretende alteração do quadro posto na instância ordinária. Igualmente, foi colacionada aos autos documentação pelo Assistente da Recorrida, veiculando em sua petição novos fatos.

Registre-se que, no julgamento do recurso especial, em que as premissas fáticas são aquelas fixadas no acórdão recorrido sobre a prova produzida nos autos, há necessidade de análise prévia. Feitas essas considerações, deve-se ter em mente também se a questão federal suscitada pela parte foi prequestionada, isto é, se houve discussão e debate prévios acerca do tema.

Com efeito, a existência de decisão da Primeira Turma do STJ suscitada pelo Recorrente na petição de fls. 729-733 e os efeitos dessa decisão não foram debatidos pela Corte de origem, não havendo pela instância ordinária análise prévia acerca da prova. Assim, não merece acolhida a pretensão de ver analisada por esta Corte a documentação que, segundo alega o Recorrente, comprovaria o afastamento da causa de inelegibilidade.

Se entendesse de forma diversa, para conhecer dessa documentação e formar seu convencimento sobre o tema, estaria esta Corte, em sede de recurso especial, instância extraordinária, conhecendo de matéria não discutida pelas instâncias ordinárias, num proceder, no meu sentir, per saltum.

Do mesmo modo, é inviável a análise da documentação trazida pelo Assistente da Coligação Recorrida.

De outro norte, a discussão que gravita em torno do artigo 34 e seus incisos do Regimento Interno do STJ não se presta a viabilizar a abertura da via extraordinária, pois não se compreende no conceito de lei federal, não permitindo a abertura da instância especial, consoante bem destacou o próprio Recorrente em suas razões de recurso à fl. 511.

No que tange ao cabimento do recurso especial pelo dissenso pretoriano, fica prejudicada sua análise, porque traz a mesma tese que amparou o recurso especial pela alínea a do artigo 276 do Código Eleitoral e cujo conhecimento foi obstado por falta de prequestionamento.

Na linha da orientação que se firmou neste Tribunal, não havendo prequestionamento, não há falar em ofensa à lei, menos ainda em divergência jurisprudencial se inexistiu julgamento pelo acórdão recorrido da questão jurídica, inviabilizando o conhecimento do recurso especial (AgR-REspe nº 40027-86/SP, Rel. Ministro GILSON DIPP, publicado no DJe de 29.3.2012).

Ante o exposto, com fundamento no artigo 36, § 6º, do Regimento Interno do Tribunal Superior Eleitoral, NEGO SEGUIMENTO ao recurso especial.

Publique-se em sessão.

Brasília, 12 de dezembro de 2012.

MINISTRA LAURITA VAZ

Veja também:

Câmara Municipal terá grande renovação

wordpress plugins and themes automotive,business,crime,health,life,politics,science,technology,travel

Jornal do Povo | Escrito por:

Redação
Redação

Com seriedade e dinamismo, a nossa equipe procura fazer jornalismo de verdade, no qual a ética e a responsabilidade em divulgar os principais assuntos de interesse público são nossos principais objetivos.

93 Comments

  1. jennifer disse:

    não vai fazer nada por ibiuna de novo si ficar

  2. Felipe Santos disse:

    Sem dúvida, o fábio vai ganhar. Uhu, é 15. E em janeiro eu ainda vou comemorar a vitória dele :D

  3. Marco disse:

    Diga me em quem votas e te direi que indole tens. Se cada povo tem o governo q merece, eu não quero merecer o Fabio corrupto. Se a maioria do povo ainda é ignorante temos que agir pelo bem deles e de seus filhos, mas se a maioria do povo vota em corrupto ciente disso, é por má indole, ou seja, tb é corrupto, no trabalho, na escola, em casa. Nesse caso temos que impedir essas pessoas pelo bem de todos epelo bem de Ibiúna. Vamos implantar a nossa ficha limpa, vamos colocar os corruptos na cadeia que é o lugar deles.

  4. Vivianus disse:

    Pois é Vivi, o Fabio Belo, vulgo Babão, deu calote no salario da prefeitura no ultimo mes de mandato deixando a conta pro governo seguinte, além é claro de um hospital q passou os últimos dois meses do mandato mais tempo fechado do que aberto. A quadrilha que está hoje no poder só muda de nome, agora se chamará Fabio Belo.

  5. fabiano disse:

    Boa noite. Se ele ganhou é porque o povo confia nele. As urnas provaram isso. Quem não está contente, que mude de cidade; para que vcs que estão descontentes fiquem calados e deixem o cara governar durante os próximos 4 anos e depois a urna fala novamente.

  6. Eugenia disse:

    Nossa como é triste ver um povo com tantas provas de um politico corrupto e ainda defende-lo. Acredito que esta cidade não merece o que está passando pois a acho linda… Mas o hospital por exemplo só tem um balão de oxigenio, e por conta disto no dia em que meu pai foi internado havia ele e outra pessoa com problemas respiratórios e como tinha um só adivinhem o que aconteceu? Meu pai morreu!!! Então pensem será que as coisas devem continuar como está há 16 anos?

  7. Tiago disse:

    “2000000000000000000000000 mil votos.”

    O pulso dele é tão firme que até conseguiu votos de extra-terrestres.
    Suas habilidades matemáticas me dão câncer.

  8. Viviane disse:

    Acho gozado o povo falar mal do Fábio Bello,então porque votaram? Acho que ficaram com medo do Profº e sua corja né.Ou lembraram das 600… obras feitas pelo Fábio,da força de vontade dele em trazer industrias para o progresso do trabalho,do voto dado ao Coronel e do arrependimento de ter votado,enfim pesando bem é o melhor.

  9. Viviane disse:

    Então esse que não paga é ficha limpa, mais não cara limpa.

  10. Viviane disse:

    É vc era pequena mais agora está crescendo, então deve procurar saber quem fez ou reformou a escola que vc estudou,a merenda que vc comia,o centro olímpico que não tinha,a rodoviária que era em ótimos estado,as creches abertas para facilitar a vida das mães no sítio,e o centrinho feito para crianças ESPECIAS,que agora estão jogadas nas escolas onde se quer os professore possuem capacitação e ambiente próprio para atendê-los,lembrando que sou a favor a inclusão desde que seja INCLUSÃO.

  11. Viviane disse:

    Porque ele não precisou de pessoas como vc para ter os 2000000000000000000000000 mil votos.Pode tirar o chapéu pra ele.Mesmo impugnado,cassado,perseguido,bombardeado pelos maus jornais,ele se mostrou o homem de garra,pulso firme,e persistente nos seus objetivos.

  12. Viviane disse:

    Votei e voto de novo,pode ter certeza que ele fez e vai fazer muito mais pela nossa cidade,há esqueci só não fez lugar pra pessoas que nem vc, então o certo é cair fora.

  13. Viviane disse:

    Olá querida nosso pensamento é tão pequeno quanto o seu pois garanto que vc votou no Coronel e por isso Ibiúna está nessa merda.Queriam mudança tá aí…Mudança de novo outra …

  14. rafael disse:

    LAMENTÁVEL A DECISÃO NAS URNAS. INDEPENDENTE DO QUE A JUSTIÇA DECIDA, EU NÃO SEI SE É INTERESSANTE O GOVERNO DO PROFESSOR UMA VEZ QUE PERDEU NAS URNAS. O POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE! OH POVINHO!!!

  15. marli disse:

    Respeito também é bom e a gente merece…sou Ibiunense há pouco tempo, não somos gente pequena…nossa cidade está abandonada e quando votamos, esperamos sempre que aquele que vencer faça o melhor por nós todos, que nos tire esse abandono, mesmo que não seja o nosso candidato. Falar de política é sempre muito delicado….eu votei em quem acreditava ser o certo…não troquei meu voto por mixaria nenhuma…tenha mais respeito…

  16. Michele disse:

    Thau Coiti, vai embora logo e leve sua turma. Não espere até o final do ano, tenha coragem pelo menos uma vez na sua vida.

  17. Michele disse:

    Só quero saber quando a prefeitura vai pagar os salários dos funcionarios. Ainda bem que este candidato do prefeito levou uma surra, mostrando que o povo ibiunense nao é trouxa nem aqui. Aí sim seria verdadeira burrice. 6% dos votos é o índice de aprovação do atual prefeito

  18. Ricardo disse:

    o Fabio pode ser o mais votado e isso revela a ignorancia do povo ibiunense vamos acordar né o Professor Eduardo e sim competente para assumir o cargo de prefeito

  19. Ricardo disse:

    o professor Eduardo é sim competente para ser prefeito o :povo de ibiuna ta na hora de acordar votar em um canditato q nao tem ficha limpa q roubada hem”

    ”professor vc merece essa chance””

  20. Bianca disse:

    Olá para todos.Tenho apenas 16 anos e tenho muito mais juizo do que essas pessoas que votaram para esse candidato… NÃO me conformo em saber que existem pessoas tão sem cultura de tal forma! e o que eles dizem? “ROBA MAS FAZ” Meu deus! faz oq??? quando Fabio se candidatou para prefeito pela 1° vez, eu tinha aproximadamente 04 anos e ele foi na minha casa pedir votos para meus pais, e até hj não vi nada diferente em IBIÚNA, está pior cada vez MAIs, aquele que por um dia ACREDITAMOS que iria fazer a diferença CORONEL DARCY, infelizmente ao descobrir o tamanho do BURACO na economia de ibiúna, não aguentou… È como dizem, ibiuna é a cidade sem LEI! Mas a esperança é a ultima que morre! estou do lado do professor até o fim!

  21. Tadeu disse:

    Esse tal de professor Eduardo não conceguia controlar nem os alunos imagina um municipio!
    ele apenas e um fantoche

  22. adelino disse:

    político que não tem competência para administrar uma cidade como Ibiúna.não deveria se eleger tinha que tirar tudo que eles conseguiram do povo e deixar eles viverem com um salário minimo assim ele podem aprender o que é a vida do ser humano.O prefeito que nos escolhemos para a cidade é para administrar e não roubar pois de ladrão a cadeia está cheia

  23. Aster disse:

    VAMOS RESUMIR:

    O candidato Fábio Bello teve decisão favorável da segunda maior instância jurídica do país, Superior Tribunal de justiça ANULANDO ( ou seja deixa de existir) a condenação por improbidade administrativa que era a razão da tentativa de impugnação de sua candidatura. não h

    Então quando o Tribunal Superior Eleitoral julgar seu recurso dará parecer favorável à ele, pois Fábio BEllo não pode ter punido por algo que não existe.

    Fábio Bello, portanto, será o prefeito empossado em janeiro de 2013.

  24. amo ibiuna disse:

    concordo com todas este assunto abordado / mas ladrao por ladrao . votar em quem faz / lembre se lecitaçao nao foi feito . mas nossos filhos ate hoje as peruas estao buscando nos bairro , o prefeito atual nao fez nada , hospital ruim nao tem medico , escolas fechada ,posto saude fechado , salario atrasado oque mas vc querem ?????????

  25. Priscila disse:

    Eita povo que fala merda!Affffffff
    nO mínimo a maioria das pessoas que postaram estas asneiras sobre o Fabio, estavam esperando um carguinho de outro suposto prefeito!kkkkkkkkk

  26. DARDES disse:

    Olha não há possibilidade de fabio assumir pois está liminar que fabio conseguiu já foi derrubada no TSE.
    Resumo da ultima linha da desizão da ministra do TSE.

    Ante o exposto, indefiro a medida liminar.

    Comunique-se com urgência.

    Cite-se a ré para, querendo, responder à ação cautelar.

    Publique-se em sessão.

    Brasília, 04 de outubro de 2012.

  27. Bruno disse:

    Educação é sempre bem vinda.

  28. alef disse:

    como q alguem q fez tao mal para a cidade consegue ter tantos votos???????????????
    so aki em ibiuna mesmo……..
    torço para q ele perca o processo e se faça justiça……

  29. alef disse:

    concordo!

  30. Aster disse:

    Olha, Tiago, mais um ponto: é impressionante o comportamento raivoso das pessoas inconformadas com o fato de que, de fato, assim que terminar essa novela jurídica , Fábio Bello se torne o prefeito eleito.

    Afinal, uma decisão de instância superior se sobrepõe à outras: fábio terá seus volos validados e , então, será definido como prefeito para a gestão 2013-2016.

    É profundamente preconceituoso chamar mais de 20000 pessoas de burras por votarem em Fábio Bello. Apenas um dado para essas pessoas pensarem: Eduardo é, sem dúvida, um homem sério e correto. Todos temos certeza disso. Mas e as pessoas que o cercam e fazem parte de seu grupo político? Ele realmente, na muito remota possibilidade de Eduardo vir a ser o prefeito, realmente controlará essas pessoas? Governará sozinho? è bom que se pense um pouco…

  31. Aster disse:

    OLÀ TIAGO, reafirmo meus parabéns e desculpe o erro na hora de escrever seu nome, estava enviando várias mensagens e , sem querer, esse nome ficou redigido no texto

  32. Aster disse:

    Olá Leandro. FIco contente e te dou os parabéns, pois seu jornal foi o único que, nessa guerra de desinformação travada em Ibiúna, manteve-se correto e cumpriu a regra da necessária isenção jornalística.
    Paixões políticas à parte, a imprensa local, seja a ecrita ou na web, assumiu escancaradamente o desejo de manipular leitores e internautas e ofereceu doses tremendas de informações tendenciosas ou explicitamente mentirosas.

    Parabéns novamente e vou te sugerir: que tal algumas matérias sobre esse excesso de polarização na cena política de Ibiúna?

  33. carolina disse:

    fabio e o melhor para ibiuna do paulinho da doenca entao fabio tem que fica

  34. sueli disse:

    Meu Deus quando que o povo de Ibiúna vai acordar?
    Elegeu uma pessoa que como tantos só encheu o seu próprio bolso que já provou que não vai fazer nada pois já foi prefeito. Nossa cidade está abandonada precisando de socorro, sem saúde, educação, transporte, sem trabalho,sem lazer falta tudo aqui considerando que é uma cidade turística. Agora que era a hora de exercer o direito de escolher uma cara nova um futuro, procurar progredir, crescer descubro com pesar que o povo que é a maioria e que é muito burro votou novamente na pessoa errada agora é pedir a Deus que ele seja excluído senão vai ser mais quatro anos na merda sem poder fazer nada a não ser cobrar porque pode ter certeza de que eu vou cobrar seja na prefeitura seja onde for eu cobrarei

  35. Rafael de oliveira disse:

    Cala a boca so fala merda;;;;;;aquele fantoxinho nun vale nada……

  36. MARIANA disse:

    REALMENTE O POVO “PERDE” A MEMÓRIA POR QUALQUER “PRESENTINHO” QUE COMPRA ROUPAS E SAPATOS…..FOI O QUE EU OUVI NA PORTA DO LOCAL DE VOTAÇÃO. FIQUEI INDIGNADA…COMO UM POVO PODE TER ELEMENTOS TÃO “BURROS”….COLOCAR NO PODER, NA DIREÇÃO DA SUA CIDADE, PERSONAGEM DE UM FOLHETIM TÃO SUJO, TÃO IMUNDO…CHEIO DE PROCESSOS CONTRA OUTRA ADMINISTRAÇÃO. POR CAUSA DESSES “LERDOS” PODEREMOS DESPERDIÇAR MAIS 4 PRECIOSOS ANOS DE GESTÃO, QUE PODERÁ SER MAIS UMA VEZ “FRAUDULENTA”.

  37. AKINO disse:

    povinho,gente burra,sem cultura…ja ouvi e li todo tipo de comentario,nao importa se o candidato A e mais ¨ladrao¨que o candidato B,nao importa quem esta no poder agora…e preciso que a populacao faca a parte dela,fiscalizando e cobrando e expondo qualquer deslize,infelizmente a moral e honestidade esta em baixa entre os politicos,entaum,que trabalhem sob o jugo da sociedade…cidadania,e algo que os brasileiros precisam saber exercer,senao,seremos sempre gado de corte para o abate…

  38. guga disse:

    Comcordo com voce esse homem (Fabio Belo) ficou durante varios anos na direção da Prefeitura e não conseguiu fazer nada só conseguiu usar o nosso dinheiro …..
    O povo ibiunense pensa muito baixo…. SE vende por pouco……

  39. Claudia disse:

    Concordo com vc Maria, eu pensei a mesma coisa, esse povinho aí q votou no Fabio… quando ele novamente começar a roubar e fazer obras mal feitas, etc,etc,e deixar a cidade pior do que esta…povinho mais burro pior que todos nós sofremos por causa de alguns, eu já votei no Fabio como vereador e prefeito a primeira vez, mais acordei a tempo, afinal errar é humano mais permanecer no erro é burrice, já os vereadores espero que cumpram os seus deveres, pq temos que cobrar se for preciso manifestar, assistir as sessões na camara etc… se o Fábio realmente assumir nós cidadãos temos que cobrar e fiscalizar, se o mesmo começar com a palahaçada e roubalheira vamos sair nas ruas e gritar acionar o MP vamos fazer marcação cerrada mesmo! isso tbem vale p/ O prof. se ele vier a assumir, embora o prof. seja o oposto do fulano aí… aff desabafei…

  40. Rosimeire disse:

    Se não mora aqui porque vem opinar na nossa cidade,que pena que o povo se vende fácil,se o Fabio conseguir ganhar no tapetão não vai ter sossego vamos vigiar o nosso dinheiro,o PROFESSOR E O HOMEM MAIS SERIO E PREPARADO .

  41. Joel Jr disse:

    Triste saber que novamente a nossa cidade esta nas mãos de uma pessoa que é acusada de tantos crimes ….. Ibiuna precisa de uma cara nova, não de uma pessoa que ja ficou 16 anos no poder … Povo de Ibiuna é muito burro, basta algumas palavras bonitas que cai como um patinho

  42. Nassim I, Sabbag Jr. disse:

    Sr. Tiago Albertin, Bom dia e parabéns pelo seu trabalho jornalístico. A cidade precisa disso. Contudo, mesmo não votando aqui e, admirador da pessoa do candidato Fábio Belo, quero expor uma opinião apenas de observador. Sabemos q. o referido candidato tem apenas um de seus muitos processos em pauta. Falta de licitação, o q. é um crime na administração pública, pq.o preço e o serviço não são os melhores, pode ter favorecimento de capitais particulares e além disso, o superfaturamento q. é a causa mais delicada na falta de uma concorrência, Além disso, um erro não justifica o outro. A lei existe e todos têm q. respeitá-la, seja esse ou aquele. Porisso, o mais justo é um resultado adverso para o Sr. Fábio Bello, mesmo sendo este, um ótimo político, pessoa inteligente e bem assessorada. Minha opinião é que, se for cumprir a lei, ele não será o próximo prefeito de Ibiúna. Parabéns mais uma vez e um abração.

  43. maria disse:

    Nao me conformo como o povo esquece das coisas facil, vale lembrar que esse homem ai(fabio belo) deixou a cidade sem condiçoes nenhuma, sem estradas, sem hospital(porque quando saiu o hospital estava fechado), sem nada e ainda votam nele, hoje a prefeitura ainda esta um caos devido ao que ele deixou, sem contar que na epoca em que era prefeito existiam muitos assaltos em chacaras e roças, meu Deus o que querem para esta cidade, eu desisto dela se ele assumir o cargo, ninguem merece , alias os que votaram nele merece sim uma cidade destruida para eles.

  44. Juliane disse:

    Eita povinho ignorante esse de Ibiúna, tenho até pena, pois muitos nem procuraram saber sobre o passado de seu candidato!
    Mas como diz minha colega ai em cima, “Cada cidade tem o prefeito que merece”!!

    Não espero mais nada dessa cidade>>>

  45. Junior disse:

    A verdade é que Ibiúna não tem teve um candidato bom para prefeito, Fabio Bello mais enrolado com a justiça do que não sei oque, professor Eduardo tem cara de idiota e na testa enorme dele vejo escrito fantoche (é só olhar quem faz parte do PT de Ibiúna que já da pra perceber oque vai acontecer se ele assumir), Paulinho da Saúde é uma piada de mal gosto por que praticamente ele é o atual prefeito de Ibiúna ( Coiti nem conta ) e convenhamos eu pelo menos nunca vi essa cidade tão largada como está hoje em dia. Serão mais 4 anos perdidos para essa cidade que está parada no tempo a décadas.

  46. Nayara disse:

    Infelizmente a nossa justiça é falha, e possivelmente Fabio Bello será o prefeito mais uma vez. Mas os verdadeiros culpados são os eleitores que trocaram seu voto por mixaria…….. Fazer o que?! Gente que pensa pequeno merece prefeito pequeno. Mais 4 anos perdidos. Bom.. Cada cidade tem o prefeito que merece… Então não poderíamos esperar muito de Ibiúna não eh?!

  47. claudia disse:

    tiago, bom dia
    tenho duvidas quanto a esta eleiçõa, e sobre o assunto ficha limpa.
    tenho ouvido muito que o fabio belo tem varios processos, então como um candidato com tantos processos, ainda não julgados, conseguir se candidatar e ainda correr o risco de assumir a prefeitura?
    aguardo a sua resposta.
    muito obrigada
    claudia

  48. Caro leitor João. Esta possibilidade não existe. É um mito que inventaram nessas mensagens via email e rede sociais. Se o Fábio não puder realmente assumir, o 2º colocado, neste caso o Professor Eduardo é quem assume. Veja este link que explica melhor… http://ne10.uol.com.br/canal/eleicoes-2012/nordeste/noticia/2012/10/05/apesar-do-mito-votos-nulos-nao-cancelam-eleicoes-372324.php

  49. Joao disse:

    Bom dia Tiago Albertim, no caso para ser eleito o candidado numero 1, não seria necessario ter 50% + 1 em relacão aos votos apurados, sendo assim a possibilidade de segundo turno?

  50. Vicente disse:

    A justiça pode julgar o recurso favorável ou não, isso vai depender do poder de fogo dos 16 advogados do Candidato Fabio Bello que não se sabe de onde vem tirando tanto dinheiro para pagar tantos advogados para inocentá-lo, e saber que em sua relação de bens declarado a justiça eleitoral ele tem apenas um carrinho popular que está sendo pado em 48 parcelas…para mim só isso já configura crime eleitoral e a desconfiança de que mais uma vez a cegueira da justiça não terá o peso correto da balança, que poderá prejudicar a honestidade do Professor Eduardo que tem ficha, passado e mãos limpas e seria a opção de mudança para Ibiúna.

Deixe seu Comentário