Câmara de Ibiúna gasta mais de R$ 32 mil com aluguel de painel eletrônico


A crise financeira que atinge todos os setores públicos do país parece não ter chego à Câmara Municipal de Ibiúna. Somente de dezembro de 2017 à junho deste ano, o órgão gastou mais de R$ 32 mil (R$ 5.200,00 mensais) com o aluguel de um painel eletrônico, utilizado apenas uma vez por semana durante as sessões legislativas. As informações constam no Portal Transparência da Câmara. A justificativa é que o painel dá mais agilidade e oficializa os trabalhos legislativos, como o registro eletrônico da presença dos vereadores, mostra o resultado de votações, informa aos cidadãos presentes na audiência sobre o que está sendo debatido e votado, além de funcionar como um telão, que registra tudo que acontece nas reuniões.

Entretanto, a justificativa parece não ter convencido os munícipes da real necessidade deste gasto diante da atual crise financeira que o município vem enfrentando, principalmente, no setor de saúde, com atraso no pagamento de salário de médicos, enfermeiros e demais servidores, desconto do vale transporte dos funcionários, além de vários outros problemas resultantes da falta de recursos. “A cidade está um caos, precisando de investimentos em vários setores, como na manutenção de nossas estradas, ruas esburacadas, obras abandonadas, falta médicos e outros problemas. Mesmo assim, gastam ainda mais dinheiro à toa, com um telão. Os vereadores já ganham quase R$ 10 mil por mês, deveriam usar esse farto salário para fiscalizar melhor a nossa cidade e exigir que os impostos sejam melhor investidos”, desabafou um comerciante que preferiu não se identificar.

Extrato com os pagamentos efetuados pela Câmara à empresa responsável pela instalação do painel

Painel registra presença e resultado das votações dos vereadores

Aluguel do painel instalado em dezembro de 2017 custa R$ 5.300,00 por mês

A contratação aconteceu em 27 de outubro de 2017, ainda na gestão do então Presidente vereador Pedrão da Água (PROS), mas entrou em funcionamento apenas em dezembro daquele ano. De lá para cá, a Câmara Municipal paga R$ 5.200,00 mensais para a empresa Visual Sistemas Eletrônicos Ltda, que ganhou a licitação na modalidade Tomada de Preços para locar os equipamentos e softwares.

Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara Municipal acrescentou que o painel também é utilizado para que a população acompanhe ao vivo/online, pelo seu canal (no Youtube), via site oficial – e o sistema ajuda a execução técnica dos cortes e tomadas dessas imagens. Entretanto, a TV Câmara Online já existia há mais de 8 anos, sem custos para o município, já que era operado pelos próprios funcionários do Legislativo.

A nota diz ainda que o painel também pode ser usado como um projetor para mostrar documentos, tabelas, gráficos ou filmes, em audiências públicas ou cursos e/ou outras funções cívicas e educacionais à comunidade.
A atual Mesa Diretora, presidida pelo vereador Abel do Cupim (SDD), finalizou alegando que o contrato assinado no ano passado ainda está vigente e qualquer iniciativa de suspendê-lo agora causaria ainda mais despesas. São dois anos de duração e o presidente da Câmara que então estiver no exercício poderá calcular e debater se haverá necessidade de continuar ou não com os serviços.

wordpress plugins and themes automotive,business,crime,health,life,politics,science,technology,travel

Jornal do Povo | Escrito por:

Redação
Redação

Com seriedade e dinamismo, a nossa equipe procura fazer jornalismo de verdade, no qual a ética e a responsabilidade em divulgar os principais assuntos de interesse público são nossos principais objetivos.

Deixe seu Comentário